GARANTIAS DOS IMPLANTES DENTAIS

QUAIS SÃO AS GARANTIAS QUE TENHO ?
A Odontologia não é uma ciência exata, como a Matemática, por exemplo, e como tal, não se pode sobre ela fazer afirmações do tipo “cinco vezes quatro são 20”. Mesmo assim algo se pode concluir de um procedimento que dá certo no mundo inteiro há mais de 35 anos.
A garantia de previsão dos implantes está justamente vinculada ao fato de que, seguindo-se todos os passos da técnica, os resultados são sempre os mesmos, exceção feita aos casos onde os implantes não estavam indicados e, mesmo nestes, pode-se obter sucesso.
Como os resultados nos últimos 15 anos têm sido tão altos e seguros, alguns implantodontistas estão adotando um procedimento de total garantia ao paciente: caso algum dos implantes colocados não osseointegre, aquele implante perdido não é pago ou, se pago, o valor é devolvido ao paciente. É como um contrato de risco, que tem dado certo porque a quase totalidade dos implantes dão certo.
Exceções ficam por conta dos pacientes que se encontram no grupo das contra-indicações, onde o certo seria não implantar ou implantar com responsabilidade compartilhada.

QUAIS SÃO AS PROVAS CIENTÍFICAS DOS IMPLANTES ?
Universidades sérias no mundo inteiro, como Loma Linda e Harvard nos Estados Unidos, Gotemburgo na Suécia e Araçatuba no Brasil, desenvolveram estudos e fazem continuamente pesquisas sobre implantes. Os resultados são publicados em forma de artigos em revistas científicas no mundo inteiro.
Antes de chegarem aos humanos, os implantes foram e são testados em animais, principalmente macacos, coelhos e cachorros; analisados e acompanhados no seu desempenho. Provas são feitas pesquisando implantes com função simulada nestes animais.
Por estas razões é que deve ser dada preferência a marcas de implantes conhecidas, pois estas têm bibliografia, ou seja, um conjunto de estudos e trabalhos publicados com esta determinada marca de implantes.
Os investimentos em pesquisas são altos, com o objetivo de transmitir segurança e garantia a quem for usar aquele produto. O retorno ocorre através de comprovações científicas, que vem a dar credibilidade ao implante pesquisado.

QUAL É A MARGEM DE SUCESSO NOS IMPLANTES ?
Vários são os centros de pesquisas com implantes e algumas diferenças de critérios também existem, assim como certamente existem diferenças de comportamento e taxa de sucesso entre um implante ou outro. Porém, as variações nos resultados são pequenas.
Os bons implantes que se submetem a essas pesquisas têm apresentado resultados publicados em artigos científicos variando entre 94 e 98 % de sucesso no global dos casos analisados. Estes números são significativos, se considerarmos que alguns estudos acompanham 500, 1 000, 2 000 até 5 000 implantes por períodos entre cinco e 15 anos.
É difícil para um leigo estabelecer qual é o melhor, principalmente quando as variações percentuais oscilam com diferenças de 1, 2 ou 3% entre um e outro. O importante é optar por um implante seguro e que tenha boa documentação em pesquisas.
Do ponto de vista de quem vai usar um implante, fica a tranqüilidade de que a maioria dos bons implantes oscilam com índices de sucesso acima de 90 %, que é um percentual significativamente alto em se tratando de uma ciência não exata.

COMO SABER SE OS IMPLANTES FORAM REALMENTE COLOCADOS?
A maior prova é a passiva, de ter presenciado a cirurgia, que na maioria das vezes é feita com anestesia local, permitindo ao paciente acompanhar todo o desenrolar da implantação. O próprio ato de colocar o implante, embora indolor, é perceptível.
Embora no pós-operatório os implantes estejam submersos e não possam ser vistos ou sentidos, é possível e normal ser feita antes da abertura dos implantes uma radiografia panorâmica, que além de permitir a visualização dos implantes é prova documental que eles foram colocados.panoramica_implantes_dentais
Esta dúvida se justifica, visto que se imagina que algo vamos sentir após a implantação mas, ao contrário, nada se percebe, nada se sente, nenhuma alteração é constatada, nem na própria boca onde os implantes foram colocados.
Além de afirmação, isto é um depoimento, já que por duas vezes fui paciente de cirurgias para colocação de três implantes, nada sentindo e tendo na segunda a sensação de que o implante não tinha sido colocado. Eles estavam lá e continuam até hoje sem que nada demonstre sua presença.

COMO IDENTIFICAR UMA MARCA DE IMPLANTES ?
A primeira e mais simples é perguntando ao implantodontista que o colocou, pois ele certamente o sabe. Outra é pedir para que ele lhe mostre a embalagem dos implantes colocados, também como forma de saber quantos foram e que tamanhos têm.
Depois de colocados, a maneira mais segura é visualizando a radiografia panorâmica com os implantes colocados ou uma radiografia periapical se foram apenas um ou dois implantes. Para identificação de marca, a radiografia periapical é melhor pois apresenta menos distorções. Um implantodontista observando a radiografia, pelo formato do implante, saberá identificá-lo a menos que seja uma cópia. Algumas cópias tem pequenas diferenças do original que são percebidas por quem entende.
Para o leigo, a comparação da radiografia, com algum catálogo que mostre foto ou desenho do implante ajudará na identificação. Servirá também a ressalva da dificuldade de determinação exata quando tratar-se de uma cópia.

COMO POSSO SABER SE O MATERIAL ESTÁ ESTERILIZADO ?
Para o cirurgião-dentista, existem equipamentos que dão segurança de esterilização, tais como a estufa e os autoclaves. Clínicas destinadas à Implantodontia, Cirurgia e Periodontia têm área própria para esterilização.
Instrumentais esterilizados são normalmente colocados na mesa cirúrgica em tecidos, chamados pelos cirurgiões de campos cirúrgicos, que também estão esterilizados, assim como os campos que são colocados sobre o paciente. Estes, tal qual os gorros, máscaras e aventais usados pela equipe, estão igualmente esterilizados.
Todos são tocados, quando estão esterilizados, procedendo de forma a não contaminá-los. Toda peça ou instrumento estéril só é colocada em superfícies cobertas por campos estéreis. O mesmo acontece com bandejas e caixas com instrumentos que também vão para estufa e estão também estéreis.
Este procedimento, como um todo, é para não quebrar a cadeia asséptica da sala cirúrgica. Todos estes cuidados podem ser notados pelo paciente, ainda que desconheça o assunto.

EXISTE RISCO DE PEGAR AIDS COLOCANDO IMPLANTES ?
É importante considerar que todos os candidatos a implantes devem ser submetidos a exames de sangue, que têm por objetivo detectar alguma anomalia ou alteração.
Tudo que participa da cirurgia (por exemplo: luvas, instrumentos, aventais, gorros, máscaras e os próprios implantes) é esterilizado previamente, com a preocupação de proteger o paciente, não somente quanto à AIDS, mas contra qualquer risco de infecção.
Para se ter certeza que tudo isto é feito dentro de rígidos controles, é interessante lembrar que todos estes cuidados e precauções são feitos também no sentido de proteger o profissional que se expõe muito mais, em virtude de realizar inúmeras cirurgias em vários pacientes.
Outra informação tranquilizadora é que com todos estes cuidados não há relato, em todo o mundo, de um único caso de paciente que contraiu vírus da AIDS em cirurgia de colocação de implantes, ou outro procedimento odontológico.

Continua

Fonte: Odontex